Governo Mundial à Sombra – Bilderberg Group

Parece cena de cinema: limusines e carros de luxo com vidros esfumaçados rodeados de seguranças e helicópteros chegando a um mesmo destino, o altamente confortável hotel Dolce, Sitges, em Barcelona, na Espanha. Ali, de 03 a 06 de junho de 2010, ocorreu mais uma ‘reunião anual’ do Bilderberg Group, com os 130 maiores chefões da economia, das finanças, da política e da mídia da América do Norte e da Europa, um “clube exclusivo”: é o chamado “governo mundial à sombra”. Desde 1954, a idéia do conselheiro e analista político Joseph Retinger de criar um ‘grupo de controle do mundo’, foi colocada em prática a partir de impulsores iniciais como o magnata norte-americano David Rockefeller, o príncipe Bernhard da Holanda e o então primeiro-ministro belga, Paul Van Zeeland. Inicialmente, o grupo visou combater o crescente ‘anti-norte-americanismo’ que existia na Europa e contestar idéias socialistas novamente fomentadas naquele continente. Assim, a primeira reunião foi realizada no Hotel Bilderberg, em Osterbeck, Holanda, entre 29 e 30 de maio de 1954, surgindo daí o nome do grupo, que se reúne todos os anos (com exceção de 1976).

O grupo tem um núcleo permanente com 39 membros do chamado ‘Steering Comittee’, sendo os demais convidados às reuniões anuais. Nenhum dos participantes pode conceder entrevistas nem pode revelar o que foi dito e ouvido nas reuniões. Todos devem dominar plenamente a língua inglesa, porquanto não há tradutores presentes. Declarações importantes de membros do ‘grupo’ já deram pistas do que se trata a sua organização, como David Rockefeller que disse em uma reportagem à ‘Newsweek’: “Algo deve substituir os governos e parece-me que o poder privado é a entidade adequada para o fazer’; e o banqueiro James P. Warburg já afirmou: “Quer gostem quer não, teremos um governo mundial. A única questão é se será por concessão ou por imposição”.

Esse ‘grupo’, além de poder monetário, bélico e político detém o poder de informações privilegiadíssimas, com o que multiplicam o seu já enorme poder.

Assim como decidiram já antes as invasões do Afeganistão e do Iraque, o ano passado determinaram que ocorra o mesmo com o Irã. Atualmente, conforme estudiosos do assunto, a preocupação maior é com o crescimento da economia da China, que é considerada uma ‘ameaça econômica’ aos seus interesses, dada as repercussões nas sociedades norte-americana e européias. Na reunião desse ano, além do ‘Steering Comittee’, estiveram presentes, entre outros, os presidentes da Fiat, Coca Cola, France Telecom, Telefonica da Espanha, Suez, Siemens, Shell, Novartis e Airbus. Dentre os gurus das finanças e da economia, estiveram o especulador George Soros; os assessores econômicos do governo norte-americano, Paul Volcker e Larry Summers; o secretário do Tesouro Britânico, George Osborne; o influente ex-presidente da Goldman Sachs e da BP (British Petroleum – aquela mesma que provocou o desastre ecológico no Golfo do México), Peter Shilton;  o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellic; o diretor-geral do FMI, Dominique Strauss-Kahn; o diretor da Organização Mundial de Comércio, Pascal Lamy; o presidente do Banco Central Europeu, Jean Claude Trichet; o presidente do Banco Europeu de Investimentos, Philippe Maustad.

Pelo lado do monstruoso poder bélico, entre outros, estiveram presentes o ex-secretário de Defesa de Bush, Donald Rumsfeld; seu assecla direto, Paul Wolfowitz; o segretário-geral da OTAN, Anders Fogh Rasmussen e seu antecessor no cargo, Jaap de Hoop Scheffer.

Interessante notar que, nenhum, absolutamente nenhum órgao importante da imprensa noticiou uma linha sequer sobre essa reunião. Não à toa, pessoas mais informadas afirmam que ‘o mundo vive às avessas, com democracias controladas, tuteladas e pressionadas pelas ditaduras dos poderes financeiros e bélicos’. Além de sabermos que esse ‘grupo’ governa o destino da humanidade à sombra (esqueçam a ONU!), ocultando e fazendo ocultar as realidades, definindo pobrezas e morticínios, mentindo e enganando a partir de privilégios especialíssimos, vale aqui, para nós simples mortais brasileiros lembrar que, George W. Ball, norte-americano ex-Secretário de Estado (de 1961-1968), um dos artífices da ditadura oligárquica-militar do Brasil, participou antes de reuniões desse grupo.

Fontes:

– Opera Mundi – http://operamundi.uol.com.br/

– Wikipedia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Clube_de_Bilderberg

– Wikipedia – http://en.wikipedia.org/wiki/Bilderberg_Group

– Bildeberg Meetings – http://www.bilderbergmeetings.org

– Granma – http://www.granma.cu/

– Sama Multimidia – http://www.samamultimidia.com.br/port/catalogo/art02-bilderberg.html

– BBC – http://news.bbc.co.uk/2/hi/uk_news/magazine/3773019.stm

Lista Oficial de Participantes 2010 – http://www.bilderbergmeetings.org/participants_2010.html

Lista de Participantes desde 1954 – http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Bilderberg_participants

Constituição do ‘Steering Committee’ – http://www.bilderbergmeetings.org/governance.html

Anúncios